Home - Página Inicial Quem sou eu – Who I am - Quién soy yo? Recomendações - Recommendations - Recomendaciones Contato – Get in touch !  - Contacto  Jardim Botânico  Parque Nacional da Tijuca – Floresta da Tijuca  Sítio Burle Max
Os Tradicionais
Os Imperdíveis
O Leve e o Gostoso
Mirantes e Praias
O Inesperado
Os Diferentes
As mulheres adoram
Os Homens vibram
Refúgios Ecológicos
Fora do Rio





Para relaxar, selecionamos aqui alguns santuários ecológicos, dentro e fora da cidade: o Jardim Botânico, a Floresta da Tijuca, o Sítio Burle Marx, incluindo passeios pelo Itanhangá.

Leva-se um dia inteiro para visitar esses três redutos. Será um dia de tranqüilidade.

O Jardim Botânico fica dentro da cidade, a Floresta da Tijuca é um setor do Parque Nacional da Tijuca que possui 3.300 hectares de área verde e o Sítio Burle Marx fica afastado e só atende com hora marcada.




Vizinho do Parque Lage, com o Parque Nacional da Tijuca como quintal, o Jardim Botânico é um local agradável, para se contemplar a natureza. Pode-se conhecer a história do jardim e do bairro, observar espécies raras de plantas da flora brasileira e de outros continentes. Fontes, cascatas, ruínas da antiga fábrica de pólvora, portal da antiga Academia de Belas Artes e, com um pouco de sorte, pode-se ver micos, esquilos e pássaros que frequentam esse santuário. Para terminar, um café, no Café Botânica.
Existe um centro de visitantes e banheiros em alguns pontos do jardim.
Duração da visita: 3h, aproximadamente.

Clique nas imagens para ampliá-las





Considerada a maior floresta urbana do mundo, o Parque Nacional da Tijuca encanta com a beleza e a exuberância das áreas verdes. A massa verde do parque e dos arredores contribui para a redução da poluição e da temperatura na cidade. Preserva substancial parcela do ecossistema, evitando deslizamentos e contaminação dos rios e nascentes. A floresta que temos hoje é o resultado de uma reflorestação que se realizou na segunda metade do século XIX, visando a recuperação das nascentes e rios que abasteciam a cidade.

A floresta foi devastada durante os séculos XVII e XVIII com diferentes objetivos: ligar o interior à área costeira e realizar plantações, especialmente de café. Durante a reflorestação realizada pelo Major Manuel Gomes Archer e Thomas da Gama, cem mil mudas de espécies nativas e exóticas foram plantadas nas regiões da Tijuca, Sumaré, Paineiras e Corcovado. A partir de 1874, Coronel Gaston de Robert d´Escragnolle continua os trabalhos, tendo como seu colaborador Auguste François Marie Glaziou. Durante sua administração trinta e cinco mil mudas foram plantadas e ambos não se esqueceram de embelezar o local com jardins, pontes lagos e belvederes. Após a queda do Império, a floresta foi abandonada pelos republicanos por quase meio século. Esse abandono foi excelente e a floresta cresceu verde e pujante. Pode-se fazer uma trilha leve, um pique-nique, mas é bom agendar. Ônibus são proibidos no parque.
Duração da visita: apenas à Cascatinha 1h.
Uma trilha leve e alguns pontos de interesse: 3 a 4h.

Clique nas imagens para ampliá-las





Sítio Roberto Burle Marx fica afastado do centro da cidade e só atende com hora marcada. Numa área de 350 mil m² podemos conhecer o legado de um dos mais famosos paisagistas do mundo. Seu sítio reúne 3.500 espécies de plantas, além de acervo de arte, livros e outras expressões artísticas.
As visitas devem ser agendadas com antecedência e podem durar 4h, entre visita e deslocamento.

Clique nas imagens para ampliá-las







 Jardim Botânico  Parque Nacional da Tijuca – Floresta da Tijuca  Sítio Burle Max
Copyright © 2009 PictureRioTours.com all rights reserved..